ORGANIZAÇÃO REGIONAL DE SANTARÉM

terça-feira, 30 março 2021 22:14

Passagens de Nível

A bancada da CDU (PCP-PEV) da Assembleia Municipal de Santarém, na manhã de 27 de Março de 2021, levou a cabo uma acção de rua nas passagens de nível ferroviárias de Vale de Santarém, Peso, Assacaias e Vale de Figueira. A iniciativa contou com a presença, em cada local, de moradores, de activistas da CDU e dos deputados municipais André Arraia Gomes e Leonor Fonseca (do Partido Comunista Português) e Francisco Madeira Lopes (do Partido Ecologista “Os Verdes”). A iniciativa pretendeu assinalar a necessidade de investimento público na ferrovia, por forma a resolver os problemas de segurança existentes.

A passagem de nível do Vale de Santarém apresenta uma visibilidade reduzida. Tem a agravante do seu acesso ser feito, por parte de quem vem do campo e do concelho do Cartaxo, por uma antiga ponte (a que os vale-santarenos chamam de “ponte romana”). A ponte tem uma proibição de circulação de veículos com mais de 10 toneladas, algo que, segundo a população, não é cumprido, especialmente na época da colheita do tomate. Este facto põe em risco a própria ponte.

A resolução dos problemas de segurança da passagem de nível do Vale de Santarém, através da criação de uma via alternativa desnivelada ou de eventual alteração do traçado ferroviário, poderá também resolver a questão de segurança na ponte.


A passagem de nível do Peso mantém-se encerrada à circulação automóvel, na sequência do trágico acidente de 2020. A visibilidade é muito reduzida neste local e as vias de acesso estreitas. Para o PCP não parecer ser o local ideal para existência de uma passagem de nível automóvel, pelos riscos que lhe são inerentes.


A passagem de nível das Assacaias apresenta visibilidade reduzida e é estreita. Para quem vem de Santarém, o acesso a Alcanhões por esta via, obriga sempre a duas passagens sobre o caminho-de-ferro: uma na Ribeira de Santarém e outra nas Assacaias. Há muito que a população de Alcanhões exige a construção de uma via rodoviária alternativa, entre as Assacaias e a Ribeira de Santarém, que não atravesse o caminho-de-ferro. Essa via rodoviária reduziria o tempo de viagem (pois não haveria tempo de espera nas passagens de nível) e aumentaria a segurança. A eventual alteração do traçado ferroviário também poderia resolver o problema do acesso a Alcanhões via Assacaias.

Em Vale de Figueira, a passagem de nível tem boa visibilidade. Existe, contudo, um projecto para a construção de uma passagem desnivelada.

Na sequência desta iniciativa, a bancada da CDU na Assembleia Municipal solicitou ao Executivo Municipal o envio dos projectos relativos a passagens de nível existentes no concelho.


Falar de ferrovia no concelho é indissociável da questão do desvio da Linha do Norte.


Para o PCP, a modernização da Linha do Norte, entre Vale de Santarém e Entroncamento, é uma necessidade. Uma necessidade não só para a população do distrito de Santarém, mas também para os distritos de Portalegre e Castelo Branco.


Para o PCP, a modernização deve incluir o desvio do seu traçado, por forma a proteger a linha das encostas de Santarém e a diminuir o impacto sobre a população da Ribeira de Santarém, que se vê atravessada pelo caminho-de-ferro. Para o PCP, o debate sobre a melhor solução técnica deve prosseguir, devendo procurar-se a melhor solução, que garanta uma alteração com o menor impacto possível.

A resolução dos problemas de segurança existentes nas passagens de nível no concelho de Santarém passa, para o PCP, pela modernização e desvio da Linha do Norte e no investimento na ferrovia que permita a construção de passagens desniveladas.


Santarém, 30 de Março de 2021


A Comissão Concelhia de Santarém do PCP

Newsletter